As reformas do Código de Processo Civil

Código-Processo-Civil-CPC-CERS-Pos-GraduaçãoEm março de 2016, acaba o período de vacatio legis do Novo Código de Processo Civil, que trará diversas mudanças no ordenamento jurídico brasileiro. Mas antes mesmo desta grande reforma, o CPC brasileiro, ao longo de sua vigência, recebeu a edição de muitas leis federais em busca por aperfeiçoamento.

É possível separar as modificações no CPC em três minirreformas:

1994/1995: introduziu a antecipação de tutela (espécie de medida urgente, que se distingue das ações cautelares pela satisfatividade), Lei 8952/94, e reformulou o recurso de agravo (contra decisões interlocutórias), Lei 9139/1995.

2001/2002: modificou a regência de recursos como a remessa ex officio, o agravo, a apelação e os embargos infringentes, reduzindo em muito o espectro de cabimento deste último (Lei 10.352/2001). Ademais, houve preocupação em enrijecer as sanções por descumprimento de ordens judiciais (Lei 10358/2001), e, por fim, aperfeiçoaram-se as regras para antecipação de tutela, trazendo do direito francês a Astreinte, com a finalidade de compelir o devedor de obrigação de fazer ao adimplemento in natura, estabelecendo-se a fungibilidade entre os provimentos cautelares e os antecipatórios de tutela, e modificando-se regras do processo de execução (Lei 10444/2002).

2005/2006: reduziu o âmbito de cabimento do agravo de instrumento, fixando o agravo retido como regra geral (Lei 11187/2005), eliminou o processo de execução fundado em título judicial, incorporando-o como parte do processo de conhecimento, sob o título de "cumprimento de sentença" (Lei 11232/2005), criou a possibilidade de o tribunal, durante a apreciação do recurso de apelação, sanear nulidades relativas, ao invés de simplesmente declarar nula a sentença, e instituiu a súmula impeditiva de recursos (Lei 11276/2006). Por fim, a instituição da possibilidade de o juiz, de plano, julgar improcedente um pedido formulado desde que trate de matéria de direito e sobre a qual já haja, no juízo, sentença de total improcedência em caso idêntico.(Lei 11277/2006).

Pós-graduação

Se você possui interesse em ampliar o conhecimento e se especializar na área do Direito Processual Civil, conheça um pouco mais a Pós-graduação Lato Sensu da Estácio, em parceria tecnológica com o CERS. 

O corpo docente é extremamente qualificado, formado por mestres, doutores e juristas que atuaram diretamente na elaboração do novo CPC. Todas as disciplinas possibilitarão a análise da legislação vigente e uma visão comparada com o Novo Código de Processo Civil (PL 8046/2010), proporcionando intensa abordagem doutrinária (incluindo a experiência do direito comparado) e o exame das discussões jurisprudenciais assentadas nas mais recentes decisões dos tribunais superiores.

Além das videoaulas, serão disponibilizados aos alunos materiais de leitura, exercícios de fixação do conteúdo, fóruns e atendimento individualizado com os tutores.

Confira a apresentação dos coordenadores do curso em Direito Processual Civil, Maurício Cunha e Fernando Gajardoni:

 

Qualidade, flexibilidade e mobilidade que só o ensino a distância pode proporcionar. Aproveite descontos especiais até 02 de fevereiro. As aulas começam em 14 de março. Seja inovador. No seu tempo, do seu jeito.

Saiba mais:

PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL

 

 

  • Show Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

comment *

  • name *

  • email *

  • website *

You May Also Like

Você conhece as desvantagens de acessar cursos piratas?

Estudos apontam que o Brasil é o vice-campeão mundial no ranking de pirataria, ficando ...

A importância de Estatuto e Ética no Exame de Ordem

O estudo de Estatuto e Ética da OAB é um diferencial para a aprovação ...

Revisão para OAB XIX: presencial ou online?

Quer encontrar os professores do Portal Exame de Ordem em um dia inteiro de ...

Ainda dá tempo de estudar para OAB?

Nesta reta final ainda dá tempo de estudar algo para a prova de 1ª ...

Nacionalidade: Brasileira ou Brasileiro?

Está estudando português para concursos públicos? Então, responda: para as pessoas do sexo masculino ...