Comercialização indevida de videoaulas gera ações na Justiça

O simples ato de compartilhar uma videoaula é crime e o STJ vem mantendo diversas decisões que reprovaram candidatos na investigação social em razão do cometimento de crime de pirataria.

Com autorização da justiça, é possível identificar quem copia, quem vende, quem compra, quem compartilha e até quem assiste. “No caso do comércio, temos ainda outros dados, como os dados bancários, que possibilitam a identificação de suspeitos e a prisão de pessoas”, alerta o delegado de crimes cibernéticos César Duarte Lacombe.

Confira a reportagem produzida pelo Jornal da Globo ainda em 2014:

materia-jornal-globo-comercialização-aulas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leia também:

Não se corrompa. Diga não a Pirataria

Renato Saraiva assume vice-presidência da Anpac

Renato Saraiva: trajetória e inspirações

 

Você pode se interessar por:

Cursos online para Concursos e Exame de Ordem

  • Show Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

comment *

  • name *

  • email *

  • website *

You May Also Like

Florianópolis sedia evento de revisão para a prova da OAB

No dia 29 de novembro, bacharéis em Direito de todo o Brasil participam da ...

Exame de Ordem 2019: Faculdades que mais aprovaram!

Atenção, oabeiros! A Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgou a edição 2019 da OAB em ...

O 4º Congresso Jurídico Online começa hoje

É hoje! Em algumas horas, terá início o 4º Congresso Jurídico Online, que irá ...

Os 10 temas mais cobrados no Exame de Ordem

Na semana que antecede a prova de 1ª fase do XXI Exame de Ordem, ...

Advocacia como atividade essencial

Justiça do Amapá reconhece advocacia como atividade essencial durante a pandemia

Após a aprovação do Conselho da OAB Amapá, foi impetrado Mandado de Segurança Coletivo ...