Entender as particularidades da banca organizadora da prova OAB, a Fundação Getúlio Vargas, é uma importante vantagem para quem se prepara visando a 1ª fase do Exame de Ordem. A prova objetiva da OAB XXX acontece no próximo dia 20 de outubro. Conhecer o estilo de prova da banca, forma de cobrança dos conteúdos, “pegadinhas” frequentes, entre outros aspectos, ajuda o examinando a ter uma melhor percepção das questões e ficar mais confiante diante do que enfrentará. Saiba Como a FGV elabora as questões da 1ª fase do Exame de Ordem.

Como a FGV elabora as questões da 1ª fase do Exame de Ordem

Uma das bancas mais importantes e respeitadas do país, a FGV costuma apresentar um alto grau de dificuldade nos certames que organiza. Tradicionalmente, as provas da banca contêm textos grandes, com assuntos, muitas vezes, pouco estudados pelo candidato. Além de longos enunciados, a FGV costuma cobrar na prova OAB questões interdisciplinares. Nas provas da 1ª fase da OAB, o panorama não se altera. Nas edições anteriores do Exame, a FGV utiliza casos práticos, aplicações reais e questões multidisciplinares, que envolvem texto de lei. A prioridade é a cobrança doutrinária da legislação.

Tudo sobre a elaboração das questões 1ª fase da OAB:

1) A prova é, geralmente, constituída de: 22,5% de questões difíceis, 28,75% de questões fáceis e 48,75% de questões médias.

2) Uma média de cinco a dez professores elaboram as questões por área de conhecimento.

3) Uma vez formulada, a questão passa por uma análise técnica. A partir dessa revisão, a questão vai para um banco de questões (em cada disciplina, a FGV tem entre 300 e 400 questões no banco).

4) Quando as questões estão finalizadas, uma reunião entre especialistas em Exame de Ordem é realizada para avaliar os enunciados. O grupo pode aceitar as questões integralmente, com restrições, recusá-las ou propor mudanças.

5) Com esse retorno, a FGV reformula as questões sugeridas pelos especialistas.

6) O banco de questões é então considerado pronto, dando início ao processo de seleção das questões que vão compor a avaliação. A seleção é feita por professores que não estavam envolvidos com a elaboração dos enunciados.

7) Após a seleção final, é realizada a revisão final das 80 questões.

8) A FGV não aceita questões com transcrição literal do código, a fim de evitar repetições com outras questões. A banca dificilmente trabalha com prazos, tentando priorizar os enunciados que exijam a logicidade e criatividade do examinando.

Tags:

  • Show Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

comment *

  • name *

  • email *

  • website *

You May Also Like

OAB discute entrada de novas disciplinas no curso de Direito

A Comissão Nacional de Educação Jurídica da OAB, presidida pelo advogado Marisvaldo Cortez, se ...

Confira a programação de hoje do Projeto 10+

O Projeto 10+, que traz os 10 temas mais cobrados na 1ª fase da ...

Não arrisque! Seu recurso da 2ª fase para OAB é coisa séria!

A Ad Verum surgiu como uma empresa especializada em orientar examinandos e concurseiros que ...

Os acordos ortográficos da Língua Portuguesa

Desde o início do século XX, a ortografia da língua portuguesa foi alvo de ...

Fique por dentro dos novos conteúdos exigidos em concursos

O 1º semestre de 2015 trouxe novas leis, projetos de lei, súmulas e OJ's ...