Entenda o Exame de Ordem na visão FGV

A Fundação Getúlio Vargas divulgou dados importantes para os examinandos que estão se preparando para a prova da OAB. O documento consiste em um relatório com dados relativos a faculdades, matrículas, inscrições no Exame de Ordem, bem como as reprovações em tal certame, ou seja, um verdadeiro Raio X da OAB. Compilamos alguns desses dados para otimizar seus estudos. Confira:

Estatísticas de desempenho e resultados nos exames

A análise contempla, portanto, os resultados referentes às últimas 16 edições do Exame: do II ao XVII Exame. Nesse período, 1,91 milhão de inscrições foram contabilizadas – o equivalente a uma média de 119 mil inscritos por edição e 359 mil a cada ano. No referido intervalo de tempo, 639 mil pessoas participaram das provas. Desse contingente, 360 mil examinandos (56%) foram aprovados no Exame de Ordem.

 

 

 

 

 

 

 

 – Evolução do número de candidatos inscritos e aprovados por edição do Exame de Ordem

 

 

 

 

 

 

 

 

A identificação de cada examinando por seu CPF permite avaliar e filtrar o desempenho com base no número de participações no Exame de Ordem. Entre a II e a XVII edições, os examinandos realizaram, em média, 2,9 inscrições. Com isso, é possível afirmar que a cada nova edição, cerca de 30% dos examinandos presentes na primeira fase participaram da prova pela primeira vez.

 – Inscritos, aprovados e taxa de aprovação por número de exames realizados entre o II e XVII Exame

 

 

 

 

 

O gráfico acima evidencia uma relação inversa entre a taxa de aprovação e o número de participações no Exame de Ordem. Uma das possíveis hipóteses para justificar essa relação está associada à melhor formação e preparação dos examinandos que são aprovados logo nas primeiras oportunidades. À medida que são necessárias novas tentativas, restam indivíduos cada vez menos preparados para atender às exigências do Exame, o que explicaria o menor aproveitamento.

– Distribuição percentual dos aprovados por número de exames realizados

 

 

 

 

 

 

 

A partir da distribuição percentual dos aprovados segundo número de exames realizados, apresentada acima é possível avaliar também que, para 143 mil indivíduos (ou 40% do contingente de aprovados), a aprovação foi obtida já na primeira oportunidade. Para 75% dos aprovados no Exame (269 mil examinandos), foram necessárias até três participações para obtenção do aproveitamento necessário na segunda fase.

– Taxa de Aprovação Média por Região

 

 

 

 

 

 

Segundo a tabela, e considerando as 16 edições avaliadas, quase metade do contingente participante (281,1 mil examinandos ou 44% do total) inscreveuse para a realização das provas em seccionais da Região Sudeste. Em seguida, destacaram-se as seccionais do Nordeste (com 20% dos examinandos); Sul (16%); Centro-Oeste (13%) e Norte (7%).

– Nota média na prova discursiva por faixa de aproveitamento na primeira fase

 

 

 

 

 

 

 

A partir da tabela, verifica-se que quanto maior o aproveitamento na primeira fase, maior foi a nota média obtida pelos examinandos na prova discursiva. A tabela também evidencia que o melhor aproveitamento na 1ª fase entre os examinandos provenientes dessa etapa em relação àqueles provenientes do Reaproveitamento. Entre os examinandos que passaram pela 1ª fase, 68% (219,9 mil) se encontravam na faixa de rendimento mais baixo e 27% (88 mil) tiveram rendimento entre 60% e 69%. Entre os estudantes provenientes do Reaproveitamento, 83% (28,8 mil) concentraram-se na faixa de aproveitamento mais baixa e 16% (5,4 mil) tiveram rendimento entre 60% e 69%.

 – Prova objetiva: aproveitamento médio* por disciplina da primeira fase

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em média, os melhores aproveitamentos na prova objetiva entre o II e o XVII EOU foram observados nas seguintes disciplinas: Estatuto da OAB / Código de Ética (65%), Direito do Consumidor (56%) e Estatuto da Criança e do Adolescente (54%). Com as menores taxas de aproveitamento, por sua vez, figuraram as seguintes disciplinas: Direito Penal (38%), Direito Internacional (37%) e Direito Empresarial (33%).

Para garantir um estudo intenso nessa fase final, confira 3 coisas que um examinando pode errar na sua preparação. 

Preparação completa para 1ª fase da OAB

Tags:

  • Show Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

comment *

  • name *

  • email *

  • website *

You May Also Like