Justiça mantem credenciamento para cursos de Direito na modalidade EAD

A Justiça Federal no DF negou, neste último fim de semana, tutela de urgência requerida pela OAB para que o MEC paralisasse de imediato os pedidos de credenciamento de instituições e de autorização de cursos de Direito na modalidade EAD. Isso significa que a OAB sofre uma grande derrota após a tentativa de barrar os cursos de Direito em EAD. A entidade entrou na justiça no ano passado. Com a decisão, a IES segue com seus processos sendo analisados pelo MEC para abertura de cursos de Direito na modalidade EAD.

Justificativa para cursos de Direito na modalidade EAD

Ao proferir a decisão no bojo da ação de conhecimento, a magistrada observou que o direito à educação é um dos direitos sociais, em que o Estado deve priorizar em suas políticas públicas, de forma a garantir, pelo menos, o mínimo existencial prometido na CF. “Nessa perspectiva, cabe ao Judiciário possibilitar a eficácia desse direito fundamental para o cidadão e a sociedade brasileira, especialmente, em igualdade de condições, de liberdade para aprender, de coexistência das instituições de ensino públicas e privadas, dentre outros, sempre atento ao princípio da legalidade”, disse a juíza Federal Solange Salgado da Silva.

Juíza aponta vantagens nos cursos EAD

Segundo a julgadora, a oferta de cursos de graduação EAD, justamente devido à flexibilidade do horário de estudo e por cobrar mensalidades mais baixas, proporciona o maior acesso à educação nas universidades, públicas ou privadas, as pessoas que possuem dificuldades diversas de realizar o curso presencial. “A melhor adequação dos cursos superiores às normas que regem a matéria e às suas peculiaridades intrínsecas na modalidade EAD, seja curso jurídico ou outros cursos de graduação superior, deve ser proporcionada por cada IES, não se cuidando de responsabilidade restrita à ré, à vista do princípio da autonomia didático-científica e administrativa das universidades.”

Derrota da OAB

A magistrada disse não ter encontrado nos autos comprovação hábil e idônea acerca da alegada da OAB de retração do ensino presencial simplesmente porque o setor privado ofereça mais vagas no EAD quando comparada ao setor público; que a União enfraqueça propositadamente as regras para facilitar credenciamento e autorização de funcionamento dos cursos de EAD; ou de queda vertiginosa na qualidade de ensino da educação superior causada exclusivamente e diretamente pelos cursos à distância de má qualidade.

Tags:

  • Show Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

comment *

  • name *

  • email *

  • website *

You May Also Like

Maior atuação do advogado no inquérito policial

Quem milita, ou deseja militar, na advocacia criminal tem motivos para comemorar. Isso porque o ...

Contato CERS atende com excelência

Visando sempre a excelência do seu atendimento, o contato CERS oferece aos seus alunos ...

A maior promoção de todos os tempos para OAB

A contagem regressiva chegou ao final. Se você está se preparando para a 1ª ...

CERS Sugere: vídeos, livros, dicas e muito mais

Sabia que os materiais complementares são essenciais para uma preparação completa e de qualidade? ...

Hoje: os Impactos do Novo CPC no Direito Administrativo

Mais um Fórum Temático Gratuito do 6º Congresso Jurídico Online. Dessa vez, a aula ...

Fechando Ética pode ser o diferencial na 1ª fase da OAB

O Novo Código de Ética trouxe mudanças significativas. Desde a última edição do Exame, o ...