Justiça mantem credenciamento para cursos de Direito na modalidade EAD

A Justiça Federal no DF negou, neste último fim de semana, tutela de urgência requerida pela OAB para que o MEC paralisasse de imediato os pedidos de credenciamento de instituições e de autorização de cursos de Direito na modalidade EAD. Isso significa que a OAB sofre uma grande derrota após a tentativa de barrar os cursos de Direito em EAD. A entidade entrou na justiça no ano passado. Com a decisão, a IES segue com seus processos sendo analisados pelo MEC para abertura de cursos de Direito na modalidade EAD.

Justificativa para cursos de Direito na modalidade EAD

Ao proferir a decisão no bojo da ação de conhecimento, a magistrada observou que o direito à educação é um dos direitos sociais, em que o Estado deve priorizar em suas políticas públicas, de forma a garantir, pelo menos, o mínimo existencial prometido na CF. “Nessa perspectiva, cabe ao Judiciário possibilitar a eficácia desse direito fundamental para o cidadão e a sociedade brasileira, especialmente, em igualdade de condições, de liberdade para aprender, de coexistência das instituições de ensino públicas e privadas, dentre outros, sempre atento ao princípio da legalidade”, disse a juíza Federal Solange Salgado da Silva.

Juíza aponta vantagens nos cursos EAD

Segundo a julgadora, a oferta de cursos de graduação EAD, justamente devido à flexibilidade do horário de estudo e por cobrar mensalidades mais baixas, proporciona o maior acesso à educação nas universidades, públicas ou privadas, as pessoas que possuem dificuldades diversas de realizar o curso presencial. “A melhor adequação dos cursos superiores às normas que regem a matéria e às suas peculiaridades intrínsecas na modalidade EAD, seja curso jurídico ou outros cursos de graduação superior, deve ser proporcionada por cada IES, não se cuidando de responsabilidade restrita à ré, à vista do princípio da autonomia didático-científica e administrativa das universidades.”

Derrota da OAB

A magistrada disse não ter encontrado nos autos comprovação hábil e idônea acerca da alegada da OAB de retração do ensino presencial simplesmente porque o setor privado ofereça mais vagas no EAD quando comparada ao setor público; que a União enfraqueça propositadamente as regras para facilitar credenciamento e autorização de funcionamento dos cursos de EAD; ou de queda vertiginosa na qualidade de ensino da educação superior causada exclusivamente e diretamente pelos cursos à distância de má qualidade.

Tags:

  • Show Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

comment *

  • name *

  • email *

  • website *

You May Also Like

OAB não anula nenhuma questão da 1ª fase

Em nove das 13 últimas edições do Exame de Ordem, a OAB não anulou ...

questões anuladas

XXXV EOU: Confira quais foram as questões anuladas!

Olá, OABeiro! O gabarito oficial e o resultado preliminar da 1ª fase do XXXV Exame de ...

ANULADAS MAIS DUAS QUESTÕES DA 1ª FASE OAB XXX

A OAB acaba de emitir um novo comunicado anulando mais duas questões da 1ª ...

Processo Penal

Conteúdos que você não pode deixar de conferir na reta final da OAB

Olá, OABeiros (as). Tudo bem? O Exame de Ordem está chegando…Como vai a rotina ...

7 filmes que todo advogado deve assistir!

Você está cursando Direito ou já atua na área? Aprenda um pouco mais com ...