STF anula busca e apreensão em escritório de advogado

STF anula busca e apreensão em escritório de advogado

O ministro do Supremo, Gilmar Mendes, concedeu liminar em habeas corpus declarando nula a busca e apreensão realizada pela Polícia Federal nos endereços residencial e profissional de um advogado. Disse ele:

A advocacia é uma função que deve ser respeitada em todas as suas prerrogativas e que não devem ser mitigadas ou relativizadas em nome de anseios punitivistas

No caso em questão, o investigado Hélio San’anna e Silva Júnior, ex-delegado da PF, foi indiciado em dezembro de 2019, juntamente com o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, e outras 15 pessoas na Operação Chabu. A operação apura o vazamento de informações sobre investigações da Polícia Federal para favorecer políticos e empresários de Santa Catarina.

O advogado de Hélio, Eugênio Carlo Balliano Malavasi alegou no HC que a vistoria nos endereços de seu cliente não contou com a presença de representante da OAB, conforme exige o Estatuto da Advocacia.

Ele ainda afirma que o mandado de busca e apreensão foi genérico, não especificando o que deveria ser recolhido.

Para Gilmar Mendes, a defesa de Hélio demonstrou com documentos que o representante da OAB designado para acompanhar a busca não presenciou de fato a diligência e se recusou a assinar o auto de apreensão.

Estariam constatados “indícios de ofensa” ao Estatuto da Advocacia, aptos a tornarem nula a ação dos policiais federais.

O HC concedido a Hélio irá beneficiar ainda os outros investigados, uma vez que eventuais provas coletadas serão desconsideradas.

O procedimento de Busca e Apreensão

A busca e apreensão havia sido autorizada pelo TRF-4, órgão responsável pelo caso, devido ao foro privilegiado do prefeito de Florianópolis. Inicialmente, Hélio havia solicitado a nulidade da medida ao tribunal regional, porém o pedido foi indeferido. Ele entrou então com agravo regimental, sendo novamente negado. Posteriormente, interpôs recurso especial e agravo regimental no STJ, apenas conseguindo a nulidade no STF.

Você pode se interessar também por:

Advogado tem microfone desligado em audiência
Advogada denunciada por plágio presta depoimento
Juiz deve receber advogado mesmo sem hora marcada
Advogada presa com droga “super maconha”

Tags:

  • Show Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

comment *

  • name *

  • email *

  • website *

You May Also Like

Juristas querem atualizar lei antidrogas no Brasil

Uma comissão de Juristas, designada pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ...

OAB desmente concessão de carteira de advogado para deputado

Repercutiu bastante nas redes sociais nos últimos dias, a falsa informação de que a ...

Nova Lei nº 13.431 assegura direitos da criança e do adolescente

Foi publicada a lei nº 13.431/2017, que altera a Lei no 8.069, de 13 de julho ...

Advogado dá carteirada como delegado e está sendo investigado!

Atenção, oabeiros! Circula na internet um vídeo de um advogado que, após ser repreendido ...

A internet e o futuro da advocacia

Atualmente, a concorrência é um dos mais graves obstáculos enfrentados pelos advogados no Brasil. ...

Falece advogada que recebeu carteira da OAB em hospital

Falece advogada que recebeu carteira da OAB em hospital

Uma triste notícia para todos que se solidarizaram com a história que acompanhamos aqui, ...