Advogado é preso por ficar com dinheiro do cliente!

Atenção, oabeiros! advogado é preso em Londrina um advogado de 40 anos, a prisão foi fruto de um processo de apropriação indébita, onde ele é acusado de pegar para si dinheiro do seu cliente, a ordem de prisão foi emitida pelo Juiz da 3ª Vara Criminal de Londrina.

O advogado fez um acordo em que o seu cliente receberia R$ 13.536,81 em 2010, contudo o dinheiro nunca chegou ao seu cliente e o advogado apropriou-se do valor. O cliente que hoje possui problemas de saúde, descobriu a situação apenas em 2015, auxiliado por outro advogado.

Além da condenação criminal, o juiz da 4ª Vara Cível de Londrina, Jamil Riechi Filho, condenou a ressarcir o idoso no valor que se apropriou, acrescido de uma indenização de 15 mil reais, corrigido monetariamente.

Advogado é preso e OAB pune

O advogado está suspenso das atividades da advocacia, a OAB condenou ele ao pagamento de cinco anuidades e a suspensão do seu registro até que pague o seu antigo cliente.

Confira nossas dicas de preparação para o Exame de Ordem!

Tags:

  • Show Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

comment *

  • name *

  • email *

  • website *

You May Also Like

Salário é impenhorável para pagar honorários advocatícios ,diz STJ

Salário é impenhorável para pagar honorários advocatícios, diz STJ

O entendimento surgiu após ser aberta exceção à regra da impenhorabilidade de verba alimentar ...

Entenda a desaposentação

O Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), em sessão realizada ontem (26), considerou inviável ...

O novo Direito Civil

Dar continuidade aos estudos é imprescindível para o desenvolvimento não só profissional, como também ...

Resultado Final OAB em números

Vamos analisar o Resultado Final OAB em números. Por fim, acabou a agonia dos ...

Descriminalização do uso das drogas pelo STF

Na última quarta-feira, 19 de agosto, o STF começou o debate sobre a descriminalização ...

Considerações acerca da nova Lei Complementar 150/15

No Ano de 2015 tivemos a edição da Lei Complementar 150/15, que revogou a ...